Cabelos e unhas continuam crescendo após a morte?

Por Manuel Schutze*

Essa é outra daquelas histórias que correm por aí. Mas será mesmo que o cabelo e as unhas crescem ainda por vários dias após a morte?

Bem, se existe esse "mito" é por que provavelmente ele possui algum fundamento. Talvez algumas pessoas, ao lidar com cadáveres, perceberam um aumento do tamanho das unhas e cabelos e divulgaram isso como um crescimento dessas estruturas. Mas preste atenção, não confunda bife à milanesa com bife ali na mesa! Como escrevi no artigo sobre orelhas, crescimento e aumento de tamanho não é a mesma coisa.

O crescimento é um processo ativo, ou seja, ele envolve o gasto de energia. Para formar o cabelo e as unhas, as células gastam nutrientes e oxigênio. Então, é impossível que unhas e cabelos continuem crescendo após a morte, pois com a falta de sangue circulando, elas não tem acesso ao oxigênio e nutrientes de que precisam e morrem em algumas horas.

Já o aumento de tamanho não envolve necessariamente um gasto de energia. Se você bater a cabeça por exemplo, forma-se um galo sem que haja gasto de energia para isso (a formação do galo é assunto para outro artigo).

Mas por que então as unhas e cabelos aumentam de tamanho se elas não crescem? Bem, sabemos que após a morte, o corpo sofre um processo de desidratação, onde ele perde água. E do mesmo jeito que uma uva fresquinha quando é desidratada forma uma uva passa (que é bem menor e enrrugadinha), as estruturas do corpo também "murcham". Como as unhas e cabelo têm pouca água na sua composição, o tecido ao redor (que tem mais de 60% de água) murcha muito mais e faz com que essas estruturas se destaquem mais, parecendo que elas aumentaram de tamanho.

No caso do cabelo, uma parte do cabelo (ou pêlo) está dentro da pele (é o chamado folículo piloso). Quando a pele murcha, sua espessura diminui, expondo parte do folículo piloso. Isso dá a impressão o cabelo cresceu.

Como você pode ver, as coisas nem sempre são o que parecem. É sempre importante questionar os nosso conhecimento e buscar por informações corretas!


* Manuel Schutze é estudante de medicina na UFMG e escreve regularmente no Espaço Saúde. Saber mais sobre este autor.

Referências bibliográficas

- Nenhuma.

[ Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização MESMO QUE CITADA A FONTE - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. ]